Logo do estado

Coliseu das Artes recebe o II Festival Escrevendo Nossa História

Versão para impressãoEnviar por email

Valorizar a produção artística de estudantes, contribuir para inclusão social e comemorar o Dia da Música é o objetivo do II Festival Escrevendo Nossa História. A iniciativa pertence ao Projeto Música e Cidadania da Fundação Carlos Gomes e acontece no próximo dia 22 de novembro, no Coliseu das Artes do Polo Joalheiro São José Liberto.

O Festival surgiu no ano de 2017, quando apresentou o musical “Viver a vida”, uma experiência inédita unindo todos os polos conveniados à Fundação Carlos Gomes através do Projeto Música e Cidadania (ação gratuita de educação musical nas áreas periféricas de Belém), obedecendo à uma temática, em que o discurso poético ou melódico evidencia a importância do ser humano como agente transformador da sociedade.

O nome do Festival é uma referência ao projeto do Ministério Público do Trabalho (MPT) em parceria com diversas instituições, entre elas a Fundação Carlos Gomes, direcionado a crianças, jovens e adultos de áreas de risco e a egressos do sistema penal e socioeducação. O Projeto Escrevendo e Reescrevendo Nossa História foi lançado no ano passado e é conduzido pelo procurador do MPT Sandoval Silva.

O Festival

Pelo segundo ano, o Coliseu das Artes do Polo Joalheiro São José Liberto será palco deste grande evento. O desafio do festival é audacioso e inédito para região, pois a partir de um tema gerador e comum, coloca em cena uma banda formada por aproximadamente 800 alunos, cuja faixa etária varia de 7 a 80 anos, que tocam violão, flauta doce, percussão, teclado, saxofone, flauta transversal, clarinete, e cantam num Gran Coral de 400 vozes, tendo como educadores 34 professores da Fundação Carlos Gomes.

Neste ano, o festival apresentará o musical “Maré dos sons”, uma compilação das composições de alunos, forma pela qual a coordenação do projeto e equipe técnica idealiza como meio de exercitar o protagonismo do público atendido. As composições foram selecionadas pelos professores e revelam canções de diversas vertentes: Do pop rock à guitarrada, e do carimbó ao lundu.

O festival apresentará composições dos alunos: Bruno Romisson, Celso Dias, Ana Lúcia Cardoso, Cristiane Oliveira, Vitor Custódio e Antônia Costeseque, com arranjos musicais criados coletivamente pelos professores sob direção musical do músico Roger Santos. A direção artística é assinada pelo cantor e coordenador do projeto Reginaldo Viana, e a produção artística é de Valéria Carvalho.

O evento contará ainda com a participação de jovens atores da Universidade Popular (UNIPOP) e Centro de Estudos e Memória da Juventude Amazônica (CEMJA), que interpretarão poemas da escritora paraense Adalcinda Camarão. O compositor Alcyr Guimarães terá participação especial no festival, sendo homenageado pelos alunos por ser uma referência musical no estado.

Os pólos do projeto participantes são: Lions Clube Benevides (Benevides); Associação do Conjunto Habitacional Julia Seffer-ACHAJUS (Ananindeua); PROPAZ (Mangueirão); PROPAZ IESP (Marituba); PROPAZ UFRA (Terra firme); Associação Filantrópica Icui Solidário-AFIS (Icuí); Sociedade Beneficente e Cooperativista Cristo Redentor(Cabanagem), Grupo Espírita Jardim das Oliveiras (Castanheira); Movimento de EMAÚS (Bengui); Grupo Espírita Lar de Maria (São Brás); Grupo Espírita Lar Fabiano de Cristo (Guamá); Paróquia Nossa Senhora Mãe do Perpétuo Socorro (Telégrafo); Agência Adventista de desenvolvimento e recursos assistenciais – ADRA ( UNA); Associação Paraense das Pessoas com Deficiência – APPD (São Brás ).

SERVIÇO:

II FESTIVAL ESCREVENDO NOSSA HISTÓRIA

Musical “MARÉ DOS SONS”

22 DE NOVEMBRO DE  2018

COLISEU DAS ARTES – POLO JOALHEIRO SÃO JOSÉ LIBERTO

17 HORAS

ENTRADA FRANCA

FCG: Av. Gentil Bittencourt, 909 - CEP: 66040-174 - Belém / PA - (91) 3201-9450
IECG: Av. Gentil Bittencourt, 977 - CEP: 66040-000 - Belém / PA - (91) 3201-9480

© Copyright 2013 Fundação Carlos Gomes - FCG. Todos os direitos reservados.